Café com Canela encerra a Mostra Caras do Brasil no Cineclube da Escola de Cinema Darcy Ribeiro

O  Cineclube da Escola de Cinema Darcy Ribeiro, com direção de Irene Ferraz, curadoria de Carmen Luz e apresentação de Sérgio Almeida, apresenta a Mostra Caras do Brasil como programação para o primeiro semestre de 2019. No próximo sábado, 06/07, a mostra encerra sua programação do semestre com a ficção Café com Canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa.

Sinopse

O filme, com direção de uma mulher negra e elenco predominantemente negro, gravado no interior da Bahia, foi premiado e exibido em festivais nacionais e internacionais. O longa trata do reencontro de Margarida, que vive em São Félix, isolada pela dor da perda do filho e Violeta, que segue a vida em Cachoeira, entre adversidades do dia a dia e traumas do passado. Quando Violeta reencontra Margarida inicia-se um processo de transformação, marcado por visitas, faxinas e cafés com canela, capazes de despertar novos amigos e antigos amores.

A mostra As Caras do Brasil acontece às 14h, aqui na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, na Sala Ruy Guerra, e a entrada é franca.

 

Filmes Exibidos

O filme que inaugurou o Cineclube, no dia 13/04, foi A Mulher de Todos, de Rogério Sganzerla, longa de 1960; seguido, dia 27/04, de Compasso de Espera, do importante diretor teatral Antunes Filho, que faleceu este ano. Dia 04/05, foi a vez de A Lira do Delírio, de Walter Lima Jr, 1978. Dia 11/05, um marco do documentário brasileiro, de Eduardo Coutinho, Cabra Marcado Para Morrer, 1984. No dia 18/05, foi exibido A hora da Estrela (1985), dirigido por Suzana Amaral, e baseado no romance homônimo de Clarice Lispector. Dia 25/05, o importante A Negação do Brasil, de Joel Zito Araujo, documentário realizado em 2000. Dia 01/06, o cineclube apresentou o documentário Cidadão Boilensen, de Carlos Asbeg, com produção de Chaim Lotewski, realizado em 2009; Dia 08/06, Serras da Desordem, de Andrea Tonacci (2006) foi especialmente exibido em película, na Cinemateca do MAM-RJ. Dia 15/06, retornando à Sala Ruy Guerra, foi a vez do documentário Diário de Uma Busca (2010), de Flávia Castro. Dia 22/06, exibimos o documentário Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queirós. E no sábado, 29/06, a mostra trouxe a ficção Boi Neon, de Gabriel Mascaro.


Posts Relacionados