Cineclube da Escola de Cinema Darcy Ribeiro Encerrou Mostra Maio 68 Exibindo “Sympathy for the Devil”, de Godard

Cineclube da Escola de Cinema Darcy Ribeiro, com Curadoria de Rodrigo Fonseca, Professor Sergio Almeida e direção de Irene Ferraz, presta homenagem aos 50 anos do movimento de maio de 1968, ocorrido na França, que tornou-se o marco de uma época onde a renovação dos valores veio acompanhada pela força de uma cultura jovem, onde temas como a liberação sexual, a Guerra no Vietnã, os movimentos pela ampliação dos direitos civis eram reivindicados pelos jovens estudantes. Para comemorar o período histórico, estão sendo exibidos filmes que também marcaram 1968. A Mostra que iniciou em 24 de março, encerrou no sábado, 23 de junho, exibindo “Sympathy for the Devil” (1968), de Jean-Luc Godard.

Maio 68

No dia 02 de maio de 1968, estudantes franceses da Universidade de Nanterre fizeram um protesto contra a divisão dos dormitórios entre homens e mulheres, pelo fim de posturas conservadoras. Aproveitando do incidente, outros universitários franceses e grupos político partidários resolveram engrossar fileiras dos protestos contra os problemas vividos na França. Com a cobertura da imprensa, em especial pela televisão que ganhava força, as manifestações ganharam repercussão em todo o mundo.

Filmes Exibidos na Mostra

A mostra iniciou em 24 de março com a exibição de “Yellow Submarine”, de George Dunning; em  31 de março, o destaque foi o “O Bandido da Luz Vermelha”, de Rogério Sganzerla; 07 de abril,  “Barbarella”, com a atriz Jane Fonda, dirigido por Roger Vadin; em 14 de abril, “A Noiva Estava de Preto”, de François Truffaut com Jeanne Moreau, Michel Bouquet, Jean-Claude Brialy, Michael Lonsdale; em 28 de abril, foi a vez de “Copacabana Me Engana”, de Antonio Carlos da Fontoura, 1968. No sábado, 05 de maio,  foi a vez de “Mandabi”, de Ousmane Sembene, cineasta senegalês pioneiro do cinema africano; 12 de maio, exibiu “A Pistoleira da Virgínia”, de Lina Wertmüller; 19 de maio, exibiu dois filmes que também marcaram a época: “Brasília, Contradições de uma Cidade”, de Joaquim Pedro de Andrade (curta) e “O Estranho Mundo do Zé do Caixão”, de José Mojica Marins; em 26 de maio, ocorreu a exibição de “Fome de Amor” (1968), de Nelson Pereira dos Santos; e em 02 de junho, “A Noite dos Mortos Vivos”, de George A. Romero; no sábado, 09 de junho, às 14 horas, com entrada franca, foi a vez de “Edu, Coração de Ouro” (1968), de Domingos Oliveira, com Leila Diniz e Paulo José; no sábado, dia 16 de junho, será a vez de um dos maiores clássicos do gênero, “Era Uma Vez no Oeste”(1968), de Sergio Leone; a Mostra que iniciou em 24 de março, encerrou no sábado, 23 de junho, exibindo “Sympathy for the Devil” (1968), de Jean-Luc Godard.

Por Francis Ivanovich.

 

WhatsappFITY

 


Posts Relacionados