INSTALAÇÕES

Localizada no centro histórico do Rio de Janeiro, em uma área de intensa atividade cultural, a Escola de Cinema Darcy Ribeiro é um centro permanente de formação profissional continuada, dinâmica e interativa, voltada para a pesquisa, experimentação e produção audiovisual brasileira.

Com área total de aproximadamente 3 mil m2, o  edifício tem cinco andares e é de estilo arquitetônico eclético do início do século passado.

Os primeiros andares abrigam as áreas administrativas, a Secretaria Escolar, o Centro de Documentação e Referência, espaços de convivência, nove salas de aula, duas ilhas de edição, Cineclube, Lounge de Roteiro, além de salão de eventos, com capacidade para receber até 300 pessoas.

Os dois últimos andares são utilizados como espaços de criação artística e como locação para os exercícios de prática de realização dos alunos dos Cursos Regulares.

O PRÉDIO

Em 2001, a Escola iniciou suas atividades no belíssimo prédio na esquina das Ruas da Alfândega e Primeiro de Março, no Centro do Rio de Janeiro. Seus cinco pavimentos foram recuperados e adaptados para abrigar as atividades de ensino e realização audiovisual. O edifício da Rua da Alfândega nº 5 foi construído em 1914 e era de propriedade do Banco Germânico da América do Sul. Em 1943, foi confiscado pela União, durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil se posicionou a favor dos Aliados. Foi uma das medidas de retaliação à Alemanha adotadas pelo governo de Getúlio Vargas, no período do Estado Novo, cassando a autorização de funcionamento do Banco Germânico por meio do Decreto Lei nº 4.612, de 24/08/1942.

 

O prédio, incorporado ao patrimônio nacional pelo Decreto Lei nº 5.992, de 12/11/1943, foi cedido à Prefeitura do Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Posteriormente, em ano cujo registro não foi localizado, a União disponibilizou o edifício para uso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, tendo sido totalmente desativado em 1993. Em janeiro de 2000, o edifício foi cedido pelos Correios, por meio de patrocínio, ao Instituto Brasileiro de Audiovisual (sociedade civil sem fins lucrativos) para abrigar a Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Após a entrega das chaves pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos em 11/01/2001, foi constatada a necessidade de obras emergenciais que garantissem, inclusive, o acesso seguro da equipe de arquitetura para elaboração de plantas (que não existiam) e de projetos para obras.

 

O péssimo estado de conservação do edifício evidenciava um avançado estágio de deterioração decorrente das intensas infiltrações e do mau estado dos telhados, descidas de águas pluviais, esquadrias e da impermeabilização do pavimento de cobertura. A deterioração ocasionara pequenos desabamentos de partes dos tetos, forros, esquadrias e, inclusive, da fachada principal do prédio. Além disso, o imóvel se encontrava vulnerável à invasão por vândalos, sem mecanismos de fechamento seguro das estruturas das esquadrias de portas e janelas do pavimento térreo. Acresce o fato de que o péssimo estado de conservação da rede elétrica deixava o edifício em risco de incêndio. Com um planejamento racional de ocupação, reforma e adaptação provisória dos ambientes recuperados, foi possível iniciar em 2001 atividades de formação profissional no pavimento térreo do edifício e expandir, ao longo dos anos seguintes, a utilização dos demais pavimentos.

 

Com recursos viabilizados por meio do patrocínio da Petrobras Distribuidora, foram executadas até março de 2002 obras de restauração da fachada do edifício e obras emergenciais destinadas a estancar as infiltrações, com reforma e impermeabilização do piso da cobertura, limpeza e retirada de entulhos dos pavimentos, demolição de elementos com risco de desabamento, retirada da instalação elétrica, realização da instalação elétrica provisória no térreo, recuperação de esquadrias, substituição de fechaduras e ferrolhos e reposição de vidros no térreo, construção de sanitários e a pintura das paredes no pavimento térreo. Essas obras emergenciais garantiram o desenvolvimento dos projetos de arquitetura e restauro “in loco”, utilizando o andar térreo, bem como do projeto docente para implantação da Escola de Cinema Darcy Ribeiro.

Em 2002, o IBAV contratou projeto arquitetônico e executou obras para limpeza, preparação e adequação no primeiro e segundo pavimentos do edifício, multiplicando salas de aula e ampliando as áreas administrativa e de convivência escolar. Nos anos seguintes, os demais pavimentos foram recuperados e, hoje, a escola mantém um edifício funcional de 5 pavimentos adaptados para atender, estrategicamente, as exigências de capacitação profissional, formação e atualização nas áreas técnicas e artísticas do audiovisual no contexto das aceleradas inovações tecnológicas do mundo moderno.

 

A estrutura física da Escola é composta de:

. 9 salas de aula;
. 2 ilhas de edição;
. estúdio;
. sala de equipamentos;
. sala escura;
. biblioteca e filmoteca, com espaço de leitura, reunião e visionamento de filmes;
. sala de exibição de filmes com 100 lugares;
. salão para eventos;
. lanchonete;
. salas de diretoria, coordenação, financeiro e secretaria escolar;
. espaços preparados para produções culturais e audiovisuais.

biblioteca escola darcy ribeiro

Centro de Documentação e Referência

Biblioteca, filmoteca e biblioteca de roteiros, com acervo oriundo de coleções particulares de cineastas, atores e críticos de cinema, como Daniel Filho, José Wilker e Moniz Viana, entre outros.

cineclube escola darcy ribeiro

Cineclube

Inaugurado em 2005, cumpre o papel de ampliar o acesso à cultura e contribuir para a formação e consolidação da plateia para o Cinema. A curadoria é programada por cineastas e críticos.

serie encontros escola darcy ribeiro

 Encontros

Atividade regular da Escola, em que são convidados nomes expressivos do cinema nacional e internacional para uma rodada de conversas com os estudantes e cinéfilos.

territorio livre escola darcy ribeiro

Território Livre

Mostras e lançamentos de filmes, debates, espetáculos, workshops  e exposições.