verdade

Festival “É Tudo Verdade!” no Rio de Janeiro e São Paulo até 22 de Abril

O 23º Festival Internacional de Documentários acontece entre 12 e 22 de Abril em São Paulo e no Rio de Janeiro. O festival criado por Amir Labaki abre com dois personagens muito significativos das duas cidades: Adoniran Barbosa em São Paulo, Hugo Carvana no Rio.

Em São Paulo, a mostra será inaugurada na noite desta quarta-feira , 11, no Auditório Ibirapuera com Adoniran – Meu Nome É João Rubinato, de Pedro Serrano. No dia seguinte, na Cinemateca do MAM, caberá a Carvana, de Lulu Corrêa, tributo ao ator e diretor Hugo Carvana (1937-2014), dar início à versão carioca do evento.

O criador do festival Amir Labaki escreveu uma apresentação que faz referência aos 50 anos dos fatos que marcaram o ano de 1968.

50 ANOS ESTAS NOITES

1968 foi um ano de significado plural, como múltiplas foram as raízes e dinâmicas das revoltas que acolheu, mundo afora, Brasil incluído. É sob o signo de seu cinquentenário que se desenvolve nossa 23a edição, como celebra a bela foto de David Drew Zingg estampada em nossa capa, comprovando que os ecos daquelas manifestações há meio século ainda falam a nós.

A luta pelo mais amplo respeito universal aos direitos humanos foi dos raros traços comuns identificáveis naqueles protestos, assim como caracteriza a corajosa obra de nossa homenageada deste ano, a americana Pamela Yates. 1968 cancelou a realização daquela edição do Festival de Cannes, mas hoje manifestações e festivais de cinema se irmanam como convites para nos desligarmos por algum tempo dos casulos digitais, nos reconectarmos com pessoas de carne e osso no espaço público, desbravarmos mundos novos, assim como demandá-los. “A imaginação no poder”, lembram-se?

Se as batalhas de 1968, específicas a cada território, foram de maneira geral perdidas, a começar pelo acirramento e não pela derrubada da ditadura militar então vigente no Brasil, vitórias de longa maturação foram lá iniciadas, sobretudo no campo da exigência da igualdade para negros, para mulheres e para a comunidade LGBTQ+ e de uma conscientização ecológica global. Vários títulos desta robusta, ainda que mais enxuta, edição do festival flagram a urgência destes embates, rumo a triunfos de fato definitivos.

Nestas cinco décadas, nenhuma expressão audiovisual expandiu-se e transformou-se mais do que o documentário. Tê-lo mais presente em nosso cotidiano, como potenciais realizadores e espectadores regulares, enriquece nossa experiência, aguça nossa sensibilidade e sofistica nossa leitura do mundo, numa era marcada pelo complexo desafio de navegar um mar revolto de narrativas nem sempre piscoso de fatos.

Agradecemos a todas e todos os cineastas que por mais um ano reconheceu-nos como um porto seguro para apresentar ao país e ao mundo suas novas obras, selecionadas ou não. Gratidão especial aos parceiros que cerraram fileiras, com empenhos extras, em torno do É Tudo Verdade 2018. “Sejamos realistas, peçamos o impossível”. Aquela utópica frase no muro, nunca foi mais atual.

Sejam todos bem-vindos e tenham lindos sonhos acordados durante – e após- mais este festival!

Amir Labaki

Fundador e Diretor

É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários

Site Oficial: http://etudoverdade.com.br/br/home/

Facebook: https://www.facebook.com/ETudoVerdadeOficial/

 

FITY


Most Recent Posts