DAC

Entidade “Diretores Argentinos Cinematográficos” (DAC) Completa 60 anos de Defesa do Direito Autoral na Argentina

 

A Diretores Argentinos Cinematográficos (DAC), que hoje reúne a totalidade dos realizadores do país, orgulha-se de chegar aos 60 anos a todo vapor, tornando realidade o sonho de seus legendários fundadores, como Fernando Ayala, Hugo del Carril, Lucas Demare, René Mujica, Leopoldo Torre Nilsson, Mario Soffici, cujo objetivo “é defender, proteger e assegurar todos os direitos pertencentes ao criador. Para tanto, desde então, seus filiados recebem com pontualidade e transparência a justa remuneração pela veiculação de suas obras na Argentina e no exterior”.

Entre outras atividades abrigadas em sua moderna sede, a chamada Casa do Diretor Audiovisual, emerge com especial força a Ação Social da DAC, que se concretiza através de eficaz e completo sistema de múltiplos benefícios. A saber, desde subsídios e empréstimos pessoais a planos de saúde familiar, tanto para quem está em atividade, como, principalmente, para os que, por motivos de idade já não podem exercer seu ofício.

A Diretores Brasileiros de Cinema e do Audiovisual (DBCA), representando os seus 300 filiados de todo o Brasil, cumprimenta o virtuoso elenco de 1.200 diretoras e diretores de ficção e documentário (cinema e televisão) filiados à DAC (Diretores Argentinos Cinematográficos) nesta efeméride do seu 60º. aniversário de fundação, a ser comemorado dia 23 de julho como o “Dia Nacional do Realizador Audiovisual” na Argentina. Especialmente convidado, estará presente ao evento em Buenos Aires, o cineasta Sylvio Back, presidente da DBCA.

Além da pertinência histórica e inequívoca importância de suas ações prioritárias, como a justa remuneração de diretores com seus direitos autorais e a incessante proteção humanitária ao criador audiovisual argentino, é notável o efetivo apoio técnico, financeiro e logístico com que a DAC incentiva sociedades emergentes da América Latina, a exemplo da DBCA, na sua intransigente defesa dos nossos sagrados direitos autorais.

Olhar para futuro

Ao estimular a criação de novas sociedades de gestão coletiva na América Latina, como as da Colômbia, Chile e Brasil, nucleadas com o México na ADAL (Alianza de Directores Audiovisuales Latinoamericnas), DAC, pelas palavras de seus dirigentes, “celebra sessenta anos avançando e transformando cada

dia no futuro de seu presente, com o olhar fixo nos novos criadores diante da permanente inovação e das inúmeras telas on line que se nutrem de nossos conteúdos audiovisuais”.

Apoiando decisivamente a criação de novas sociedades coirmãs na América Latina, a DAC, no contexto mundial, exerce, através de seu secretário geral, Horacio Maldonado, a atual presidência da Writers & Directors Worldwide (W&DW), braço audiovisual da Confederacão Internacional de Sociedades de Autores e Compositores, com sede em París que congrega 4 milhões de criadores, e cuja vice-presidência é ocupada pelo também diretor argentino, Marcelo Piñeyro.

Enquanto o Brasil se aproxima de sua esperada habilitação junto ao Ministério da Cultura, numa ação conjunta de diretores (DBCA), roteiristas (GEDAR) e intérpretes (INTERARTIS BRASIL), autorizando os criadores brasileiros a cobrar e pagar direitos autorais por suas obras que tenham comunicação pública, recentemente, Chile e Colômbia tiveram essa prevalência moral sancionada pelo diuturno empenho político e institucional de seus associados, provocando uma verdadeira revolução na economia criativa nacional.

DAC multimídia

Criada e dirigida por realizadores do audiovisual, a DAC se preocupa em otimizar sua potencialidade multimídia, que cobre vasto espectro de atividades, como o Centro de Extensión Profesional (são cursos gratuitos de

capacitação em parceria com escolas de audiovisual e universidades); a Sala “Mário Soffici”, que conta com sofisticado sistema de projeção laser 4K; e a execução do Plan Recuperar, promovido com recursos próprios da DAC em sintonia com o Laboratório Digital Gotika, onde é previsto o restauro de um total de 100 clássicos do cinema argentino em 2018, o que dará possibilidade de comercialização a esses títulos, gerando novos direitos aos seus titulares e herdeiros.

Igualmente, estão no ar o Canal 9 e CINE.AR  que toda semana emitem ciclos com os filmes recuperados. Outros programas de TV são produzidos por DAC como DAC Ficciones Cortas, e DOCUDAC ONLINE, plataforma especializada que exibe mensalmente documentários de forma gratuita.

Juntamente com o site DIRECTORES e seus vídeos quinzenais, é publicada revista com título homônimo (tiragem de 8.000 exemplares), sintetizando um conjunto multimídia que atualiza e capilariza tanto nacional como internacionalmente o premência de todos os criadores defenderem seus direitos autorais.

Por Sylvio Back, cineasta e Presidente da DBCA.

(Foto de Francis Ivanovich).


Posts Relacionados