Documentário “Timoneiro” Sincero Diário de Bordo de um dos mais Importantes Personagens da Música Popular Brasileira

O documentário de Pedro Murad, “Timoneiro”, nos leva numa viagem pelos olhos do navegante descobridor Hermínio Bello de Carvalho. Os olhos do timoneiro nos apontam horizontes inerentes à vida, as marcas do tempo, as dores e alegrias das lembranças, o diário de bordo das descobertas bem sucedidas e dos descaminhos que muitas vezes nos colocam em estado de calmaria.

O documentário de Pedro Murad possui uma atmosfera de cais de saudades, impregnada na fotografia que é acentuada pelos olhos do personagem, o homem-timoneiro Hemínio,  em sua casa-cabine repleta de companheiros de viagem além-mar. O documentário nos remete ao formato que tão bem foi explorado por cineastas que penetraram o universo de artistas em sua intimidade, por vezes constrangedora, isso me me faz recordar, mas não comparar, “Nelson Cavaquinho”, filme de Leon Hirszman (1969).

Tocante a maneira como Hermínio está diante da Câmera, de como sua face marcada pelas viagens turbulentas, pelas tempestades que teve de encarar, nos confirmam os versos da canção composta por Hermínio e Paulinho da Viola que dão nome ao documentário:

Meu velho um dia falou
Com seu jeito de avisar:
– Olha, o mar não tem cabelos
Que a gente possa agarrar

O mar da vida que nos navega, nos governa, a timoneira-mãe de todos os timoneiros. O documentário de Pedro Murad é mais que um documento de memória, mas um manifesto de vida, um tributo aos que se acham e os que se perdem na imensidão das espumas. Pedro Murad acerta ao tornar Vidal Assis também personagem no documentário, executando o seu violão diante do Timoneiro Hermínio, o mestre que por vezes não reconhece sua própria carta náutica. Vidal , apesar de jovem, é antigo companheiro de viagem. Compositor, cantor, violonista, ator.

O enquadramento de Hemínio em sua cabine íntima, nos transmite a sensação de que uma tênue esperança deve ser mantida diante dos perigos da navegação, mesmo que não haja cabelos de uma Iemanjá, cordas de salvação, bote à disposição.

O documentário nos alerta de que a vida humana, em especial do artista, é um eterno risco marítimo, uma possibilidade de naufrágio, mas também a possibilidade de terra à vista e êxito.

Timoneiro é um sincero diário de bordo de Hermínio Bello de Carvalho, um dos mais importantes personagens da música popular brasileira, Pedro Murad Vaz de Caminha realizou precioso registro de viagem.

(Por Francis Ivanovich, editor Site de Notícias ECDR)

Sinopse: 
Timoneiro é um filme sobre Hermínio Bello de Carvalho, carioca, produtor musical, poeta e compositor. Seguindo a linha de valorização dos artistas nacionais, tal qual Mário de Andrade, na sua peculiar Arte de Prestar a Atenção, Hermínio trouxe ao publico Clementina de Jesus, Paulino da Viola, João Nogueira e Nelson Cavaquinho, ajudando a impulsionar nomes como Elizeth Cardoso, Pixinguinha, Zezé Gonzaga, entre outros. Timoneiro é um filme poético e de estranhezas. Fala da passagem do tempo, das histórias, dos amigos e parceiros musicais. Hermínio na intimidade do seu apartamento revela-se. É preciso Prestar Atenção.
FITY

Most Recent Posts